logo

PARA MUDAR A ESCOLA TEM QUE MUDAR O PROFESSOR

Hoje foi a vez dos professores da rede municipal de ensino de Chapada ocuparem a posição de aluno e serem ministrados pelo professor da Universidade de Passo Fundo (UPF), Eládio Vilmar Weschenfelder no Dia de Formação Contínua promovido pela Secretaria da Educação, Cultura e Desporto.

Com o tema “Encantamento pela leitura, escrita e contação de histórias”, o professor Eládio iniciou sua apresentação com alguns dados percentuais dos brasileiros quanto à leitura e escrita. Sendo, segundo Eládio, que 90% dos brasileiros escrevem com base em cópias de outros textos e 70% não sabem explicar o que leem, apenas decifram os códigos de linguagem. De cada 100 professores apenas 5 tem o hábito diário da leitura e 1 encoraja-se a escrever e trabalhar suas próprias obras em sala de aula.

Através da história do Jeca Tatu, de Monteiro Lobato, Eládio trouxe as desculpas e o pessimismo presente em nosso cotidiano e infelizmente também no ambiente escolar. As novas ideias que são sufocadas pela velha expressão “Igual não adianta”, frase preferida de Jeca Tatu, hoje modernizados e disfarçados em novas falas “Não dá nada” ou “Tipo”, por exemplo.

Assim como Jeca mudou para que seu mundo mudasse. Eládio, frisou a importância que há na mudança do professor para que possamos mudar a escola. E essa mudança só é possível através da leitura. “A Escola deve ser o centro cultural de qualquer cidade”, disse Eládio Weschenfelder.

Com o objetivo de promover mudanças na educação, o Poder Público vem investindo fortemente no aperfeiçoamento dos professores. Além de promover as adequações necessárias no ambiente físico, merenda escolar, valorização salarial e plano de carreira para os docentes.

Aproximadamente 34% dos recursos municipais já foram aplicados na Manutenção e Desenvolvimento de Ensino (MDE) em Chapada.

Imprimir Email