logo

chapadafest

Chapada atinge a marca de 120 mil litros de leite por dia

Leite Chapada copiar

Produtores não temem uma retração nos negócios, apesar da retomada das importações do Uruguai

Mesmo o governo federal tendo anunciado que está retomando a importação de leite em pó do Uruguai produtores do lácteo da região não temem uma retração nos negócios no campo, onde é produzida a matéria-prima. A compra do produto no país vizinho havia sido suspensa em setembro. Para o secretário da Agricultura de Chapada, Ademir de Araújo Silva, como boa parte do leite produzido no interior é transformado em queijos, ricotas, nata e margarina na indústria instalada no município, não há riscos das importações comprometerem o setor produtivo no município, que tem uma das maiores bacias leiteiras da região.

A retomada na compra foi anunciada com base em laudo do Ministério da Agricultura, que constatou não haver risco sanitário no leite vindo do Uruguai. “Por enquanto não há motivos para preocupação, pois mais de 80% do leite produzido em Chapada é captado por uma indústria e pelo posto de resfriamento de uma segunda empresa”, explica.

Conforme o secretário, em média estão sendo produzidos 120 mil litros de leite por dia, em 487 propriedades cadastradas na Secretaria Municipal de Agricultura. “No ano passado foram produzidos 39 milhões de leite no município e este ano a expectativa é que atingiremos a marca dos 40 milhões de litros. Como a tendência é a ampliação do setor industrial, onde uma única empresa comprará mais de 130 mil litros de leite por dia, o município tem levado apoio, juntamente com a Emater-RS, ao produtor de leite. Para incentivarmos o negócio distribuímos mais de 2.700 vale sêmen para os agricultores melhorarem o plantel dos animais”, menciona o secretário. Somente uma única empresa industrializou no ano passado mais de 12 milhões de litros de leite.

Ainda para o secretário da agricultura, a média diária de produtividade dos animais pode ser considerada boa, pois tem uma variação que vai de 15 a 20 litros. Dos 9.301 animais cadastrados na bacia leiteria no município 7.740 estão em lactação. “Hoje no interior temos uma variação muito grande da atividade que está em propriedades que produzem 15 litros por dia enquanto outras ultrapassam aos 8 mil litros por dia. Ponto positivo é que o leite está sendo a principal renda dentro de boa parte das propriedades rurais onde se tem tambos de leite,” complementa Ademir.

Fonte: Redação Diário da Manhã

Foto: DM/Arquivo

Imprimir Email